A TODOS AQUELES QUE POR AQUI PASSEM SEJAM SEMPRE BEM VINDOS A ESTE ESPAÇO DEDICADO AOS MEUS TREINOS DE CORRIDA
E A TUDO QUE POSSA INTERESSAR NA NOSSA VIDA





















terça-feira, 8 de março de 2011

Zen e a arte de correr

Aproveitando uma altura de descontração e basculhando entre alguns sites de corrida encontrei um artigo que achei curioso e que  talvez já seja conhecido da maior parte dos leitores  no entanto aqui fica.


Zen e a arte de correr


Qual é o significado de "corrida zen"? Talvez uma nova moda, ou um jeito místico de encarar a corrida de longa distância? Não. É somente uma maneira concreta e agradável de aprender como ser feliz enquanto corre, com a finalidade de alcançar equilíbrio entre atitudes, pensamentos e sentimentos de todos os amantes da maratona. Para compreendermos o que a corrida zen pode fazer seria bom ler esta história divertida. Nos anos 80 eu fui enviado por minha equipe para um meeting internacional em Merano (Itália), para uma corrida de 5.000 metros. O pré-requisito para entrar nesta competição era ter um recorde pessoal de 14:40 que eu nunca tinha conseguido. Porém minha equipe me convenceu a participar da corrida apesar do meu tempo de 14:59, principalmente porque havia lugar no carro (ok, a corrida era um esporte frugal nos anos 80...).
Minhas pernas tremeram quando vi os recordes pessoais dos meus oponentes. Um corredor alemão tinha a marca de 13:30, e os outros tinha tempos um pouco superiores a 14 minutos. De fato, fiquei com medo de ficar um volta atrás. Porém eu estava em boa forma e queria me divertir na corrida.
E tem mais, você deve saber que a pista de Merano tem apenas 350 metros (em vez dos 400m padrão). Desta forma você corre completamente sem controle de cronômetro. Então, não tendo nada a perder, eu corri os primeiros 1.000m em 3 minutos e com grande surpresa percebi que estava na "pole position".
Bom. Uma corrida lenta, eu pensei. Eles queriam que o mais jovem fizesse o papel de coelho. Ok.
Depois de 2.000 metros (em 6 minutos) eu ainda estava em primeiro, e também depois dos 3.000 metros (em 9 minutos). Agora experimente estar no meu lugar: 18 anos de idade, meeting internacional, pista macia, sozinho na liderança da corrida... Eu não podia pensar em mais nada: ritmo, recorde pessoal... nada mais. Era puro prazer de correr, alegria de competir, emoções atingindo o fundo do meu coração.
Depois de 4.000 metros, embora meu ritmo fosse regular (sempre 3:00 min/km), ninguém ainda tinha me ultrapassado. Então eu disse: vamos nessa! Minhas pernas começaram a funcionar como nunca antes, e corri o último km em 2:42, com somente o corredor alemão me ultrapassando na arranca final. Eu tinha deixado todos os outros para trás. Nenhum dos outros corredores havia conseguido me passar, embora seus recordes pessoais fossem bem melhores que o meu.
Hoje eu percebo que uma performance tão impressionante (17 segundos melhor que meu recorde pessoal) se deu estritamente em função da situação peculiar por que passei. Meu corpo trabalhou completamente livre de controle mental. Em outras palavras eu "corri zen", completamente consciente do que estava fazendo, sem nenhuma sugestão mental, totalmente "ali" no momento da competição.
Zen é uma prática mística oriental (de fato é um dos muitos ramos do budismo), cujo objetivo é alcançar a consciência do momento através da prática de meditação. Por esse caminho é possível ver a vida exatamente "como ela é", livre das estruturas mentais que sempre construímos. Meditação (a idéia chave de toda prática zen) é um encontro total consigo mesmo, com nosso lado mais profundo. Nós podemos alcançar isto com uma percepção instintiva do nosso ser, nos liberando da multidão de pensamentos conscientes que geralmente temos na mente (por favor, leia este conceito algumas vezes até que eles fiquem familiares). Correr zen para mim significa atuar no processo de meditação, o qual geralmente é feito na posição sentada, enquanto corro. Esteja você competindo ou treinando, o importante é estar completamente livre dos pensamentos conscientes, permitindo-se ir fundo na liberdade de sua corrida.
Você tem idéia da quantidade de energia que surge quando você entra neste jogo? Tem idéia do que o seu corpo pode mostrar bastando que você consiga cortar todas as amarras? Você nunca teve a intensa vontade de unir corpo e alma no que está fazendo? Bem. Correr zen te dá tudo isso e muito mais.
Vários trabalhos científicos recentes confirmam os efeitos positivos da medição sobre o corpo e mente. Em corredores isso pode reduzir a intoxicação com ácido lático; também pode melhorar a monitoração da freqüência cardíaca, e assim em diante. Mas, mais do que pensar em qualquer pesquisa científica, a única maneira de perceber o sentido da corrida zen é fazê-la. Prove a maçã e sinta o seu gosto, como um professor zen diria. O futuro está dentro de nós, não fora. Não deixe seu futuro passar sem antes provar a nossa maçã.

2 comentários:

  1. Amigo Novais,
    Interessante, sem dúvida! Já tinha lido algo sobre este "conceito". Acrescento: é possível qualquer pessoa passar por uma experiência destas. Já me sucedeu estar "de corpo e alma" numa prova e realmente toda a concentarção está ali presente. Não sei se será exactamente a mesma situação, mas senti algo parecido e tive um excelente resultado!
    Abraço... e boa corrida, no Porto! Eu estarei na Póvoa de Lanhoso.

    ResponderEliminar
  2. Viva Carlos,
    quando li este artigo, o que me surgiu imediatamente á cabeça foi ter conseguido completar a única maratona que corri até hoje.
    Não tinha treinos suficientes, vindo de uma lesão e o que levava em mente quando parti, foi tentar acompanhar o mais longe possivel uma pessoa amiga e companheiro de treinos a fazer a maratona.
    Corremos a maratona com uma avontade e um prazer único de quem vai ali apenas pelo gozo e pelo prazer de a terminar.
    Por incrivel que pareça nunca uma noite na véspera de uma prova foi também dormida como esta.
    Mais importante que o corpo é a parte mental, essa é que temos que manter domesticada.
    Abraço

    ResponderEliminar