A TODOS AQUELES QUE POR AQUI PASSEM SEJAM SEMPRE BEM VINDOS A ESTE ESPAÇO DEDICADO AOS MEUS TREINOS DE CORRIDA
E A TUDO QUE POSSA INTERESSAR NA NOSSA VIDA





















sábado, 31 de dezembro de 2011

RETROSPECTIVA DE 2011 E UM BOM 2012

Termina hoje 2011, aquele que a nível desportivo foi o meu melhor ano, foram 2558.55 km percorridos em 222:11 h a um ritmo médio de 5:22 entre treinos e provas durante todo o ano.
Foi o ano em que consegui bater todos os recordes pessoais, aos 10 km, 15, meia maratona e maratona aquela que foi a minha grande aposta em termos de objectivos. Teria sido um ano perfeito se tivesse terminado da melhor maneira a nível profissional.
Contudo nada é perfeito e se 2011 termina desta maneira 2012 não será um ano para esperar grandes melhorias .
Frases para Orkut
Para todos vós que por aqui passam  quero desejar um 2012 com muita saúde, muita alegria, muitas  corridas e que essas corridas consigam fazer esquecer em parte aquilo que o povo Português irá passar neste Novo Ano.

BOM ANO..
UM ABRAÇO PARA TODOS.










segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

18ª S.SILVESTRE CIDADE DO PORTO 2011

Decorreu ontem, dia 18 de Dezembro a S. Silvestre Cidade do Porto, com um recorde impressionante de atletas inscritos. Este ano com algumas alterações , tanto na data como no trajecto, o ano passado a prova foi efectuada após o dia da Natal, e como tal ainda se sentia o efeito e o peso das rabanadas e companhia .
Este ano com o novo trajecto tudo indicava que seria uma prova para bater recordes, pois o traçado da prova assim o indicava. A parte mais complicada continuava a ser a subida da rua Sá da Bandeira e Santa Catarina até ao Marquês e a partir daí seria sempre a descer praticamente até ao fim.
Este ano tinha como expectativa fazer bem melhor que o ano anterior, precisamente pelo novo trajecto,mas na realidade a diferença não foi assim muita.
Durante a semana que antecedeu a prova praticamente não treinei, fiz apenas um treino, tenho-me sentido bastante cansado e com alguma falta de motivação, o que acabou por se notar durante a prova.
Após o tiro de partida tive que arrancar rápido para não ser atropelado pelo resto do pelotão, talvez por arrancar rápido de mais no primeiro km e praticamente a frio e logo a subir até ao Marquês originou que qundo lá cheguei já ia todo roto, a minha vontade era ter ficado por ali. Como já tinha passado a pior parte ainda pensei que após recuperar um pouco do esforço anterior ainda podia melhorar mas já não dava, não sei o que se passou, o que é certo é que nunca mais consegui estabilizar e acabei a prova completamente esgotado.
Sinceramente não gostei muito do novo trajecto, talvez por não me ter corrido como eu esperava, contudo acho que passa por demasiadas ruas em paralelo e a passagem no tunél também tira um pouco o calor da corrida e a parte final também não perdoa a quem já vier no limite.
Terminei com 45:01 tempo oficial, praticamente dois minutos a menos que no ano passado, mas onde tinha na mente fazer bem melhor.


Resultados aqui:
http://www.runporto.com/eventos/sao-silvestre-do-porto/sao-silvestre-do-porto-2011/

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL



 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

54ª VOLTA A PARANHOS





Hoje  dia 8  de Dezembro foi  dia de aniversário do Sport Comércio e Salgueiros, são 100 anos de história deste pequeno mas grande  clube que combatendo todas as dificuldades, continua a fazer esta prova praticamente sem patrocínios e que este ano teve 1615 atletas a cortar a meta  naquela que é considerada uma das provas mais antigas de Portugal.
Em masculinos a prova foi ganha por Evans kiplagat do kénia em 29:23s e no sector feminino por Marisa Barros.  com o tempo de 32:48s.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

UMA HISTÓRIA SEMPRE ATUAL

Praticamente em vésperas de mais uma prova de 10km 54ªvolta a Paranhos e ainda com algum cansaço nas pernas devido à maratona, tenho tentado durante os treinos semanais não forçar muito, mas mesmo assim sinto que a recuperação está algo lenta, talvez provocado pela situação profissional que neste momento estou a passar.
Neste momento faço parte de uma vasta equipa de Portugueses que como eu se encontram em LAY OFF e como tal o factor psicológico nesta altura não é o melhor.
Contudo à histórias que estão sempre actuais e esta que vos deixo aqui é o exemplo prático de uma realidade do que se passa na firma onde trabalho.
Este história foi retirada de um mail que recebi à uns dias atrás e que se enquadra perfeitamente no que estou a passar neste momento.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

APÓS A MARATONA

Vamos entrar na segunda semana após a Maratona, os treinos têm sido poucos e curtos, para uns o descanso é obrigatório, para outros nem tanto.
No  que me toca tenho optado pelo descanso, dois treinos à semana com uma ou outra caminhada pelo meio e o respectivo treino ao fim de semana que normalmente não gosto de perder.
O tempo nos últimos dias não têm estado favoravél para treinar, bastante chuva e vento, ontem foi precisamente um desses dias, que nos obrigou a fazer um treino ligeiramente diferente.
Sempre que o tempo está demasiado invernoso, quer de chuva ou vento, normalmente treinamos no interior do parque de estacionamento do Castelo do Queijo. Estamos abrigados, não é fechado, temos as vistas para o mar, acabamos por fazer um treino em circuito tipo pista ainda dá para fazer umas rectas no final e sempre abrigados, não quer dizer com isto que não seja agradável correr com chuva.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

8ª MARATONA DO PORTO - OBJECTIVO CONCLÚIDO

OBJECTIVO CONCLUÍDO

Antes de mais quero deixar o meu agradecimento ao Carlos Castro e ao cronicasdascorridas pela dica para o titulo deste post. Penso que se enquadra perfeitamente naquilo a que me propunha a fazer, por isso Carlos o meu obrigada pelos comentários de incentivo  aqui deixados ao longo dos últimos posts. Aos colegas de treinos diários  durante a semana um grande abraço também para eles, ao pessoal  dos leoesdoveneza e restante grupo de treino ao fim de semana o meu obrigada por me deixarem fazer parte da família deles.


O INICIO DA PREPARAÇÃO

Esta era para ser já a quarta maratona efectuada mas devido a alguns problemas físicos ficou-se pela segunda, tinha na primeira maratona 3h 53m, tempo efectuado na 5ª maratona do porto,  prova para a qual não tinha treinado especificamente, este ano decidi treinar com o intuito de fazer um tempo mais próximo daquilo que eu achava que era possível, por isso retirei um plano de treino adequado a uma pessoa com as minhas características e que apontava para as 3h20m.
Sempre pensei que era um pouco exagerado, mas as expectativas foram-se mantendo de que era possível.
O plano foi quase seguido à risca, desde andamentos, aos treinos longos faltando apenas os treinos de series, aqueles que não foram todos efectuados., contudo paralelo a isso foi feito treino de força que ajudou bastante para que fosse possível correr esta Maratona sempre num andamento confortável e terminar sem grandes problemas e com a sensação de ter corrido com prazer.



Não sendo um especialista na matéria no que toca a Maratonas penso que  os treinos tenham corrido bem e que aparentemente tudo poderá dar certo, no entanto  se naquele dia não acordarmos com disposição para correr, algo vai falhar.
Têm tudo haver com a vontade e o estado de espírito para o momento, foi o que aconteceu.


A MINHA MARATONA


Depois de ter preparado tudo no dia anterior, o único pensamento que tinha era poder descansar bem e acordar com vontade de cumprir o objectivo que pretendia.
Acordei por volta das 6h30m, tinha-me deitado relativamente cedo, existe sempre aquela ideia  que  a ansiedade  da prova possa criar problemas com o sono, mas não ,  foi uma noite bem dormida e que me fez acordar praticamente sem necessidade do despertador.
O pequeno almoço do costume, um bom banho quentinho para relaxar e saída a pé para a partida.
Cheguei ao palácio cerca das 8h 20m, ainda deu para conversar um pouco com os colegas da equipa que por norma me inscreve nas provas os leoesdoveneza. e praticamente foi iniciar um ligeiro  aquecimento já que estava praticamente em cima da hora para a partida.
Desta vez fiquei bastante distante do pórtico de partida, o que não é muito normal.
Este ano a Maratona ia ter balões a indicar os tempos possíveis para poder terminar a prova e como tal tinha na mente tentar seguir o balão das 3h 30m, era esse o tempo que pretendia fazer.
 Após  o tiro de partida, foi tentar apanhar e aproximar-me do balão o mais rapidamente possível para poder estabilizar o ritmo de corrida, situação que só aconteceu muito perto dos 5km. Quando me colei ao balão o ritmo que trazia (4.40) estava um pouco mais rápido daquele que eu pretendia, mas era o ritmo em que eu me ia sentir confortável, por isso mantive o andamento.
Aos 15km já levava quase 10 minutos abaixo do tempo que pretendia fazer. O pensamento de não aguentar aquele ritmo passou-me pela cabeça, no entanto eu continuava bem, o ritmo cardíaco estava estável, as pernas ajudavam, os km iam passando o andamento mantinha-se sempre o mesmo, 4.40\4.45, na viragem do Freixo comecei a pensar que era possível chegar ao balão das 3.15, no entanto perto dos 36km comecei a sentir um pouco de cansaço talvez provocado pelo vento que se fez sentir naquela parte do percurso até à rotunda do castelo do queijo.
Na parte final após ter virado no edifício transparente tive que parar duas vezes no espaço de 50m para esticar os músculos de ambas as pernas, estava a sentir as primeiras cãimbras, situação que voltou acontecer a meio da subida já na parte final.
Terminei com o tempo oficial de 3.27.41, tempo liquido 3.26.59 e no meu Garmin 3.24.53 para uma distãncia de 42.76km.

Foram precisamente 30 minutos que retirei à marca que tinha efectuado na primeira maratona e quase 10 minutos a menos do tempo que eu estava a pensar fazer.



Esta posso dizer, foi a minha Maratona corrida com prazer do primeiro ao último km.




          OBJECTIVO CONCLUÍDO



FOTOS DA 8ª MARATONA DO PORTO 2011
https://picasaweb.google.com/100304932619034324099/MaratonaDoPorto6DeNovembroDe201102#

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Expectativas para a M.........................

Aproveitando o nome de um  excelente site sobre corrida, o correrporprazer.  É e  são as expectativas para o dia que se aproxima.
Espero poder terminar se possível dentro daquilo que estabeleci como meta, essa será a minha luta e contra quem vou competir, mas sempre com a certeza que os dias não são todos iguais, e que por isso prognósticos esses serão só no fim.
Os pensamentos negativos aqui e ali vão aparecendo, a situação que aconteceu à uns dias atrás não têm interferido nos treinos mas não está totalmente resolvida, por isso espero poder termina-la correndo por e com prazer.
Aos que vão estar presentes votos de uma boa Maratona de preferência corrida   também com prazer.

domingo, 23 de outubro de 2011

OS TREINOS PARA A MARATONA E QUASE A FICAR DE FORA

Praticamente a chegar ao fim os treinos para a 8ª Maratona do Porto.

Este ano decidi recorrer a um plano de treino para poder correr a maratona. O plano foi retirado na pagina da runnersworld através da ferramenta smartcoach.
Foi um plano para 4 meses ou seja 16 semanas que tentei cumprir, mas sabendo que iria ser quase impossivél leva-lo completamente à risca durante as 16 semanas.
Falharam alguns treinos de Time run e os Speedwork mas em contra partida existiram alguns treinos de força que ajudaram bastante principalmente na zona dos membros inferiores.
Até agora estão percorridos:
Distancia:                             1.077.10 Km
Hora:                                    96.30.31 H:m:s
Velocidade média:               11.2 Km
Ganho de elevação médio:  142 m
Calorias:                              102.611 C

Faltando  apenas duas semanas para concluir o plano.
Plano que por pouco ia praticamente por agua abaixo quando na semana passada durante um treino, ao dar um salto sobre uma poça de água e após o impacto do pé no chão senti qualquer coisa de anormal  na zona da anca que me fez parar cerca de 500 metros à frente com dores, ao ponto de não poder correr.
Mais uma vez me passou pela cabeça que poderia voltar a ficar de fora da maratona como aconteceu no ano passado.
Após alguns dias de descanso,anti-inflamatorios  , tratamentos, tudo indica que lá estarei mas com algumas dúvidas quanto à sua conclusão.
Espero que nestas duas últimas semanas as coisas melhorem para que seja possível conclui-la nas melhores condições possíveis.



 

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

23ª MEIA MARATONA DE OVAR

Hoje foi dia de prova, a meia de Ovar é uma prova que corri o ano passado pela primeira vez e  que passará a fazer parte do calendário de provas a efectuar.
Desta vez acabei por fazer a viagem até Ovar sozinho. Dois dos companheiros habituais destas andanças não poderam estar presentes e como tal faltou a companhia que é sempre agradavél.
O dia ia ser quente, tudo indicava que a prova ia ser efectuada  debaixo de um calor demasiado forte para o mês em que nos encontramos, e não seria uma prova nada façil.
Quando iniciei o plano de treinos para a Maratona do Porto tinha em mente fazer a meia da Sport Zone  fazendo a prova no limite para testar o plano de treinos  efectuado durante os últimos três meses e acabar com a meia de Ovar a serie de treinos longos.
Não podendo estar presente na meia da Sport Zone, teria que ser durante a prova de Ovar que seria o teste ao plano de treinos. Contudo o treino de domingo passado, foi demasiado longo e algo duro"Volta à Cidade do Porto" e por isso seria algo ariscado fazer a prova no limite.



Após o tiro de partida e percorridos os primeiros 5 km de prova, com passagem aos 22 minutos, indicava que das duas uma ou dava o estouro, ou pelo contrário seria um excelente tempo.
Assim foi, a partir dos 5 km sem ser velejador decidi ir ao sabor do vento e velejar, deixando a corrida entregue unicamente ao sabor do corpo.
Nunca tinha corrido uma meia maratona com as médias ao km tão certinhas, mesmo na parte da subida que é ainda bastante comprida não se notou oscilações, foi uma excelente prova e que me deixou boas expectativas para o grande dia que se avizinha.


O ano passado terminei com 1:39:24 e este ano bati o recorde pessoal que tinha feito em Janeiro na meia de Viana com "1:36:03" fazendo hoje 1:33:19


Resultados Aqui:
http://www.afis.pt/mm/wordpress/wp-content/uploads/2011/10/Classificacao_Geral.pdf

domingo, 4 de setembro de 2011

TREINO LONGO - PÓVOA DO VARZIM - PRAIA DE MATOSINHOS

Dando continuidade ao plano de treino para a Maratona do Porto e estando praticamente a meio, corri hoje quase 28 km num treino que deveria ter sido de 32 km.
Este treino apesar de ter sido mais curto teve alguns aspectos que o tornou num treino algo diferente e agradável.
Como o titulo diz, tratava-se de um treino longo e que consistia em irmos de metro até á Póvoa do Varzim e de lá partirmos em direcção ao Porto,
A viagem demorou cerca de uma hora com transbordo na Senhora da Hora, chegamos á Povoa por volta das 8.30h e praticamente demos inicio ao treino. Uns km pela estrada nacional, depois pelos trilhos de areia nas dunas, pelos passadiços de madeira ao longo das praias e por fim pela marginal junto á praia de Leça.
Foi um treino diferente do habitual, pela beleza do trajecto e pelas belas paisagens  junto ás praias que  acabou com um banho na praia de Matosinhos após o termino do treino.

Foram 27.400km  percorridos em 2:27:51com alguns km em areia, e que tornou este treino algo duro.

Aqui ficam os guerreiros que deram inicio a este treino junto á estação do metro na
PÓVOA DO VARZIM
faltando apenas o fotografo- o Paulo Rodrigues

domingo, 24 de julho de 2011

Treinos para a Maratona

Há três anos atrás quando pela primeira vez corri a Maratona do Porto, tinha plena consciência que não estava preparado para a fazer, contudo a vontade de a correr foi mais forte.
Ter iniciado essa aventura com o intuito de ajudar uma pessoa amiga e colega de treinos diário a completar a sua primeira maratona, foi sem dúvida o motor de arranque para que a quisesse voltar a fazer nos anos seguintes.
Na altura e como já o disse em alguns posts não estava preparado para a fazer, não tinha treinos suficientes e aquilo que podia prometer seria tentar ir até onde as forças o permitissem.
Como não tinha objectivos e não tinha em mente completa-la talvez fosse por isso que as coisas saíram bem e a consegui terminar.
Nos ano seguinte (2009) não a pode fazer devido a ter sido operado a duas hérnias inquinais, mas decidido a tentar no ano seguinte.
Mais uma vez as coisas não correram bem, os treinos para ela estavam a correr lindamente, não havia plano de treinos, era tentar meter km nas pernas unicamente e tudo parecia estar encaminhado para uma boa maratona.
Infelizmente não a fiz, lesão na perna esquerda com rotura de 8mm a três semanas da maratona.
Bom..  ter ficado de fora a três semanas de a correr e depois de tanto treinar foi uma das situações mais negativas por que passei e que me afectou bastante, contudo não me tirou da cabeça voltar a tentar.

Definitivamente decidido a fazer a Maratona do Porto, decidi tentar treinar seguindo um plano de treino.

Através do site da Runers World encontrei uma ferramenta (smart coach) que elaborava  planos de treino, vai daí e tirei o meu.
Sinceramente acho o plano excelente, mas com dúvidas em relação ao tempo final na maratona,  nem sequer vou apontar para esse tempo porque era criar ilusões que podiam ficar caras.
O plano vou tentar cumpri-lo, vou na terceira semana num total de dezasseis, e posso dizer que para já estou a cumpri-lo ligeiramente a cima do que pede, sabendo que  a meio  de Agosto será impossível manter o mesmo ritmo de treinos e cumprir aquilo que está no plano.
Até lá ainda falta bastante tempo por isso a única coisa que espero e não ter o azar que tive no ano passado.

domingo, 26 de junho de 2011

Corrida de S.João Festas da Cidade do Porto






Hoje foi dia de corrida, esta é uma prova que está sempre no calendário de provas a efectuar. Este ano a prova efectuou-se após os festejos do S.João, o que cria algum desgaste, principalmente para os que gostam de passar a noite de S. João a festejar.

As previsões do tempo para este domingo e dia de corrida eram algo preocupantes, pois tudo indicava que a prova ia ser efectuada sobre bastante calor e dada a hora a que estava previsto o inicio da prova, penso que algo tarde, iria ser complicado.
Apesar de estar uma temperatura alta, acho que não esteve mau para correr, após a viragem deu para sentir uma brisa fresca pela frente que veio arrefecer um pouco o ambiente e terminar com um excelente dia de prova.

Mais um vez a Runporto está de parabéns pela boa organização da prova, não faltou água durante o percurso, no final da corrida o copo de cerveja cai que nem a cereja no topo do bolo, as ofertas foram razoáveis e a camisola é bastante bonita.

Em termos de prova, correu dentro das previsões, ultimamente tenho sentido que estou bem melhor, e a prova veio mostrar isso mesmo. O ano passado tinha feito 1:11:07 e este ano tinha como meta fazer entre a 1: 09 e 1: 07 e praticamente acertei no alvo.
Quando iniciei a prova  e olhando ao ritmo que ia tudo levava a crer que ia baixar mais do que aquilo que estava a prever, o andamento até aos 11 km ia rápido e indicava caso mantivesse o mesmo andamento um tempo de 1: 05 h, mas infelizmente isso não aconteceu, cerca dos 12 km senti uma picadela no músculo da coxa e tive que parar e caminhar durante uns metros largos, mais à frente tive necessidade de voltar a parar e foram três paragens até cerca dos 14km.
Acabei com 1:09:30 no meu Garmin, oficial 1:09:40 o que não foi nada mau.

Sinto que estou a melhorar, vou começar os treinos para a maratona do Porto que espero fazer este ano.
Uma palavra para o Fernando Andrade com quem me cruzei durante a corrida, e a quem desejei uma boa prova, teria sido um prazer ter feito a prova ao lado do Cidadão de Corrida se não tivesse em mente baixar o tempo que tinha feito no ano anterior.

Resultados Aqui:

http://www.runporto.com/cf_consultar_resultado.html

domingo, 29 de maio de 2011

Grande Prémio Atletismo De Perafita




Hoje foi dia de prova e  pela segunda vez estive presente em Perafita.
Após a meia de Cortegaça era costume fazer a meia do Douro Vinhateiro, mas este ano devido a algum cansaço acumulado decidi não correr a meia do Douro e esta em Perafita também não fazia parte dos planos, foi uma inscrição feita nas vésperas da prova.

Esta prova está marcada como uma prova de 10 km mas na realidade não os têm, marcou no meu garmin 9.450m, num trajecto que parecendo fácil acaba por enganar um pouco.

Estando neste momento ainda numa fase não muito boa, decidi correr sem grandes expectativas no que toca a tempos. A prova este ano tinha poucos atletas na linha de partida, para os 10 km estavam inscritos apenas 192 atletas, por isso não deu grande confusão na linha de partida, originando isso sim uma partida algo rápida.
Acabei por fazer os 9.5km em 42' 07'' o que não foi nada mal para quem continua a sentir que o corpo ainda não está nas melhores condições.
Agora à que esperar pela  corrida do S.João.

Classificações aqui:
http://www.atletas.net/provas/sites/gp-perafita

domingo, 8 de maio de 2011

27ª Meia Maratona de Cortegaça

De volta à competição.
Hoje foi dia de prova, pelo 4º ano consecutivo corro a meia de Cortegaça, esta foi a minha estreia em meias maratonas e como tal gosto de a correr, não só por ter sido aqui a estreia mas pelo prazer de correr pelo meio do pinheiral e poder respirar aquele ar de frescura do pinheiral e da brisa que vêm do mar.

Durante quase toda a semana  nos dias de  treino a meia foi aqui e ali tema de conversa principalmente em relação ao tempo que poderia fazer e sinceramente acho que não me portei muito mal, pois eu estava apontando para um tempo bem mais longo do que foi o tempo final.

Quando me inscrevi para esta prova fazia tenção de ir com a minha esposa e o meu filho e passar o resto do dia no Parque de Cortegaça na companhia de um casal amigo, contudo o tempo não estava com boa cara e a minha família não quis vir, curioso que no ano anterior também aconteceu o mesmo.
Bom, acabei por ter a companhia de um amigo nesta deslocação e que apesar de andar à já uns anos em provas esta era a sua primeira vez em Cortegaça.
Chegámos cedo, por volta das 8.30h, o tempo não estava mau, mas um pouco abafado sentia- se a humidade no ar. Passado uns minutos aparecem os restantes membros do grupo, a entrega dos dorsais, um pouco de conversa e à que equipar para o aquecimento.
Pela segunda vez consecutiva corro sem o relógio, mais uma vez fiquei sem bateria ao ponto de o relógio não ligar, não sei como aconteceu pois eu tinha posto o relógio a carregar.


Olhando ao problema que venho sentindo à algum tempo!!  ainda se mantém aquela sensação de cansaço e que eu ainda não resolvi.
Quando parti para esta prova o meu pensamento em relação ao tempo que poderia fazer era algo que não gostaria que acontecesse mas tudo era possível.
Apesar de não ter acontecido, as coisas estiveram algo más, por volta dos 5km comecei a perder velocidade, o cansaço que venho sentindo instalou-se e tive que fazer um esforço para não parar antes da viragem. Mal virei aos 10 e qualquer coisa deu-se a primeira paragem para descansar, uns metros largos a passo para descansar e voltar à corrida, entretanto  fui aguentando o ritmo e um pouco antes dos 14 novamente outra paragem, mais uns passos para descanso e arranco novamente ao passar na contagem aos 15km sou informado que vou com 1h12minutos e algo mudou na minha cabeça, o andamento ficou mais rápido senti que as forças voltavam e fui mantendo um andamento razoável, por volta dos 19km  tive que abrandar um pouco com uma dor na parte de trás da coxa, mas logo que entrei na recta que levava á meta voltei a impor novamente o ritmo que trazia acabando com 1:41:30 h tempo oficial da prova.
Sempre pensei que olhando ao que tenho sentido ao longo destes últimos tempos que não conseguiria fazer menos do que 1:50 h por isso já não foi mau.
Agora é continuar a treinar, descansar o suficiente ir melhorando para a próxima que é a Corrida das Festas da Cidade.

domingo, 1 de maio de 2011

Maratona no Parque

Esta foi a segunda edição da maratona no Parque da Cidade, organizada pela equipa do Porto Runers.
O ano passado não tive oportunidade de me juntar ao grupo para pelo menos correr algumas voltas mas este ano lá me apresentei.
O inicio estava marcado para as 8.15h, a manhã estava fresca e a prometer que iríamos sair de camisa colada ao corpo, mas não de suor. Quando lá cheguei por volta das 9.00h, já um grupo bem constítuido rolava quase a terminar a 2º volta. Entrei praticamente no inicio da 3º volta ainda sem chuva, mas foi por pouco tempo, o terreno começou a ficar enlameado, as voltas foram sucedendo, o ritmo instantâneo estava excelente 5.40 mais coisa menos coisa. 
Os Km foram sucedendo, o ritmo mantinha-se estável o grupo ia crescendo já atingia praticamente a centena, uns iam saindo outros entravam  e começava mais uma volta.
Vontade de continuar dando voltas não faltava mas a cabeça dizia para não fazer mais do que as cinco que eu tinha em mente, pois a meia de Cortegaça estava aí à porta e convinha não abusar, por isso foram só cinco as Voltas que dei, foram  22.850 km  em 2:11:14.
Esta foi uma manhã de treino bem passada e que espero poder repetir, fazendo votos que na próxima o número de participantes aumente, e quem sabe com outras condições.

sábado, 30 de abril de 2011

Esperando pela recuperação

Continuando o tema dos últimos posts, e sentindo que as coisas ainda não estão bem, não sei o que vai acontecer daqui a 8 dias em Cortegaça. Uma coisa é certa é para terminar nem que acabe por ser o meu pior tempo à meia, será da maneira que vou aproveitar para respirar o ar do pinheiral.
Os treinos não têm corrido mal, continuo a sentir algum cansaço, não sei se esse cansaço é provocado pelos treinos ou pela conjectura do que se passa no trabalho.
Estes últimos dois meses abrandei um pouco os treinos longos, contudo a carga de km efectuados mantiveram-se dentro do meses anteriores.
 No mês de Março:
 Distãncia percorrida:  217.56 Km
 Hora:                         18:43:01 h:m:s
 Veloc. Média:            11.6 Km/h

No mês de Abril:
Distãncia percorrida:   194.81 Km
Hora:                          17:26:41  h:m:s
Veloc. Média:             11.2  Km/h

Partindo do principio que a situação no ano passado por está altura foi um pouco idêntica espero que no que toca à recuperação seja também igual .
Vamos aguardando por melhores dias (vontade e sol)

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Grete Waitz, rival de Rosa Mota

A norueguesa Grete Waitz morreu ontem, aos 57 anos. Foi campeã do mundo em 1983 e correu várias vezes ao lado de Rosa Mota, que a considerava "um ídolo".

A norueguesa Grete Waitz morreu ontem, aos 57 anos, em Oslo, vítima de um cancro que lhe tinha sido diagnosticado há seis anos.
A maratonista ficou na história por ter sido campeã do mundo em 1983 e por ter conquistado a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de 1984. Também terminou no primeiro posto a Maratona de Nova Iorque por nove vezes, mais do que qualquer outra atleta até hoje.
Nos Jogos Olímpicos de 1988, em Seul, quando Rosa Mota subiu ao pódio, Waitz não conseguiu terminar a prova ao lado da rival. "Ganhei à Grete e penso que, não sendo ela a ganhar, ficou contente por ser eu a campeã", disse Rosa Mota em declarações à Agência Lusa.
A campeã olímpica portuguesa confessou que admirava a rival "desde a juventude", muito antes de correr com ela. "Tornámo-nos grandes amigas. Foi a atleta que mais me ganhou e a que mais admirei", explicou.
Rosa Mota, que entregou o troféu da meia-maratona de Lisboa a Waitz em 2002, lamentou a "grande perda para o desporto", porque a amiga tinha uma "forma de estar diferente das outras atletas.

Videos de homenagem a uma grande campeã

domingo, 17 de abril de 2011

Continuação da fase menos boa

Ainda com alguns dos problemas, mencionados num dos posts anteriores, e utilizando algumas das sugestões que me foram dadas, continuo com algum cansaço.
Curioso é que o ano passado quase por esta altura, após a meia do Douro passei por uma fase de cansaço muito idêntica, mas que foi ultrapassada.
Os treinos semanais têm corrido razoavelmente bem, uns melhores do que outros , os longos passaram a ser ligeiramente mais curtos pelo menos até que a fase negra passe.
Espero que a situação vá melhorando, como tal já estou inscrito na meia de Cortegaça,  a prova que foi a estreia na distãncia e que vou correr pela 4º vez.

sábado, 2 de abril de 2011

Sem Palavras

Por muito grandes que sejam as nossoas mazelas ou problemas na vida tornam-se insignificantes após ver as imagens deste video.
Todos devem assistir a este vídeo pelo menos uma vez!!!

domingo, 27 de março de 2011

Desmotivação, Cansaço, Falta de vontade...

O que até à pouco tempo atrás era uma alegria contagiante , tornou-se ou pelo menos está a tentar tornar-se numa falta de vontade e desmotivação enorme.
Nunca em altura alguma senti o que estou sentindo neste momento e pior que isso é que não encontro respostas nem solução para resolver o problema.
Após um inicio do ano em que tudo parecia estar a correr bem entre algumas provas efectuadas e os treinos diários, foi surgindo um cansaço tremendo nos membros inferiores principalmente a nivél dos joelhos que têm conseguido desmoralizar-me .
A aalegria, a vontade de todos os dias correr, de estar com os amigos no parque está neste momento a transformar-se e a dar lugar á falta de vontade para comparecer  para o treino diário.
O que será esta falta de força nos joelhos?

domingo, 13 de março de 2011

Corrida do Dia do PAI



Hoje foi Dia de de prova, foi a 4º vez que corri a corrida do dia do PAI. Normalmente neste dia costumo ter a companhia da família para a respectiva caminhada, o que não aconteceu este ano porque tudo fazia prever um dia de chuva e a minha esposa e o meu filho preferiram não ir.
Na realidade a manhã estava algo húmida, da chuva que tinha caído durante a noite mas a dar indicações que iríamos ter uma prova seca.
Assim foi , cheguei por volta das 9.00h um pouco cedo para poder estacionar por perto, como de costume deu para encontrar alguns colegas de treino, alguns deles com as respectivas famílias.
Pessoalmente tenho andado um pouco cansado, provavelmente vou abrandar um pouco os treinos, principalmente os treinos longos, os treinos nestas  últimas duas semanas indicavam isso mesmo, e por isso  tudo indicava que a prova iria mais uma vez ser penosa apesar de ser uma prova plana e que eu tanto conheço, pois  faz parte do trajecto habitual de treinos.
A quantidade de atletas para os 10 km era tanta, que quando me desloquei para o ponto de partida, fiquei a uns bons trinta metros do pórtico de partida.
Problema foi tentar arranjar espaço para poder ir avançando o melhor que podia no meio de tanta gente. Talvez por isso tenha quebrado um pouco  a meio da prova.
Concluíram a corrida cerca de 2200 atletas, terminei com o resultado oficial de 44.32, no meu garmin deu 44:17 porque me esqueci de desligar o cronometro logo após a chegada.

RESULTADOS AQUI:



http://www.runporto.com/cdp_resultados.html

terça-feira, 8 de março de 2011

Zen e a arte de correr

Aproveitando uma altura de descontração e basculhando entre alguns sites de corrida encontrei um artigo que achei curioso e que  talvez já seja conhecido da maior parte dos leitores  no entanto aqui fica.


Zen e a arte de correr


Qual é o significado de "corrida zen"? Talvez uma nova moda, ou um jeito místico de encarar a corrida de longa distância? Não. É somente uma maneira concreta e agradável de aprender como ser feliz enquanto corre, com a finalidade de alcançar equilíbrio entre atitudes, pensamentos e sentimentos de todos os amantes da maratona. Para compreendermos o que a corrida zen pode fazer seria bom ler esta história divertida. Nos anos 80 eu fui enviado por minha equipe para um meeting internacional em Merano (Itália), para uma corrida de 5.000 metros. O pré-requisito para entrar nesta competição era ter um recorde pessoal de 14:40 que eu nunca tinha conseguido. Porém minha equipe me convenceu a participar da corrida apesar do meu tempo de 14:59, principalmente porque havia lugar no carro (ok, a corrida era um esporte frugal nos anos 80...).
Minhas pernas tremeram quando vi os recordes pessoais dos meus oponentes. Um corredor alemão tinha a marca de 13:30, e os outros tinha tempos um pouco superiores a 14 minutos. De fato, fiquei com medo de ficar um volta atrás. Porém eu estava em boa forma e queria me divertir na corrida.
E tem mais, você deve saber que a pista de Merano tem apenas 350 metros (em vez dos 400m padrão). Desta forma você corre completamente sem controle de cronômetro. Então, não tendo nada a perder, eu corri os primeiros 1.000m em 3 minutos e com grande surpresa percebi que estava na "pole position".
Bom. Uma corrida lenta, eu pensei. Eles queriam que o mais jovem fizesse o papel de coelho. Ok.
Depois de 2.000 metros (em 6 minutos) eu ainda estava em primeiro, e também depois dos 3.000 metros (em 9 minutos). Agora experimente estar no meu lugar: 18 anos de idade, meeting internacional, pista macia, sozinho na liderança da corrida... Eu não podia pensar em mais nada: ritmo, recorde pessoal... nada mais. Era puro prazer de correr, alegria de competir, emoções atingindo o fundo do meu coração.
Depois de 4.000 metros, embora meu ritmo fosse regular (sempre 3:00 min/km), ninguém ainda tinha me ultrapassado. Então eu disse: vamos nessa! Minhas pernas começaram a funcionar como nunca antes, e corri o último km em 2:42, com somente o corredor alemão me ultrapassando na arranca final. Eu tinha deixado todos os outros para trás. Nenhum dos outros corredores havia conseguido me passar, embora seus recordes pessoais fossem bem melhores que o meu.
Hoje eu percebo que uma performance tão impressionante (17 segundos melhor que meu recorde pessoal) se deu estritamente em função da situação peculiar por que passei. Meu corpo trabalhou completamente livre de controle mental. Em outras palavras eu "corri zen", completamente consciente do que estava fazendo, sem nenhuma sugestão mental, totalmente "ali" no momento da competição.
Zen é uma prática mística oriental (de fato é um dos muitos ramos do budismo), cujo objetivo é alcançar a consciência do momento através da prática de meditação. Por esse caminho é possível ver a vida exatamente "como ela é", livre das estruturas mentais que sempre construímos. Meditação (a idéia chave de toda prática zen) é um encontro total consigo mesmo, com nosso lado mais profundo. Nós podemos alcançar isto com uma percepção instintiva do nosso ser, nos liberando da multidão de pensamentos conscientes que geralmente temos na mente (por favor, leia este conceito algumas vezes até que eles fiquem familiares). Correr zen para mim significa atuar no processo de meditação, o qual geralmente é feito na posição sentada, enquanto corro. Esteja você competindo ou treinando, o importante é estar completamente livre dos pensamentos conscientes, permitindo-se ir fundo na liberdade de sua corrida.
Você tem idéia da quantidade de energia que surge quando você entra neste jogo? Tem idéia do que o seu corpo pode mostrar bastando que você consiga cortar todas as amarras? Você nunca teve a intensa vontade de unir corpo e alma no que está fazendo? Bem. Correr zen te dá tudo isso e muito mais.
Vários trabalhos científicos recentes confirmam os efeitos positivos da medição sobre o corpo e mente. Em corredores isso pode reduzir a intoxicação com ácido lático; também pode melhorar a monitoração da freqüência cardíaca, e assim em diante. Mas, mais do que pensar em qualquer pesquisa científica, a única maneira de perceber o sentido da corrida zen é fazê-la. Prove a maçã e sinta o seu gosto, como um professor zen diria. O futuro está dentro de nós, não fora. Não deixe seu futuro passar sem antes provar a nossa maçã.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

10 KM AVINTES

Hoje foi dia de prova.
Ccomo já tinha dito no post anterior, esta foi a minha prova de estreia no atletismo e a quarta vez que a corro.
O dia estava excelente para correr, tudo fazia prever uma grande moldura humana que infelizmente não se veio a concretizar, mas que mesmo assim não deixou de ter cerca de meio milhar de atletas na linha de partida para os 10km.
Este ano o percurso da prova foi alterado, em termos de distancia foi praticamente a mesma dos anos anteriores, cerca de 9600 metros, o percurso própriamente dito acho que não saiu beneficiado, pelo contrário, iniciar uma prova praticamente numa subida e praticamente a frio não é agradavél, em relação à organização notou-se que  as dificuldades cada vez são maiores mas mesmo assim acho que cumpriram dentro daquilo que têm sido normal.

Tive o prazer de durante a fase de aquecimento e após o término da corrida de conhecer e conversar um pouco com o Carlos Castro sobre as nossas mazelas do atletismo e dar-lhe os parabéns pelo  cronicasdascorridas. e desejar-lhe as melhoras, no entanto como ainda não temos atleta temos o repórter e a sua objectiva.





Obrigado ao reportér de serviço

Bom, naquilo que me toca terminei dentro do habitual, tinha na ideia baixar um pouco mais, mas o corpo não deixou, os treinos durante esta semana deram a entender que estava a precisar de abrandar um pouco.  O treino de 28km efectuado na semana anterior ainda pesava nas pernas. Curioso foi pela primeira vez ter corrido sem olhar para o relógio, apesar de o levar no pulso não pude contar com ajuda dele porque fiquei sem bateria mesmo antes do inicio da prova, tive a preocupação de o por a carregar mas o meu filhote desligou o computador, situação que eu não reparei e o resultado foi o relógio completamente descarregado



Terminei os cerca de 9600 metros com 43:23 e com vontade de ter parado logo na primeira volta, tal era o cançaso.










Esperemos agora pela próxima que será a Corrida do dia do Pai




quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Avintes e o inicio na corrida

Aproxima-se os 10km Avintes, aquela que foi a primeira prova de corrida em que participei.
Corria o ano relativamente recente de 1997 tinha 47 anos quando em Agosto após as férias de verão, inicio o retorno ao trabalho e sinto que há qualquer coisa de errado comigo, algum desconforto em certos movimentos coisa que outrora fazia com alguma facilidade, o que me leva a pensar que estava demasiado pesado.
Como diz o ditado : o algodão não engana;  o problema é que a balança também não, e ia eu já  a caminho dos 94 kg.
Algo me disse que tinha que mudar, e como tinha vários colegas de trabalho que faziam corrida decidi também que talvez fosse uma das opções para fazer descer o ponteiro da balança.
Comprei umas sapatilhas para correr, não dei muita importância aos aspectos técnicos da sapatilha, se era a correta para a minha passada, o tamanho, aquilo que pretendia era umas sapatilhas para correr.
Vontade não faltava, o problema esse seria começar e não desistir.
O meu passado como atleta de futebol  desde os iniciados até  aos seniores fazia prever que seria fácil voltar a correr com relativa facilidade, puro engano.  Tinha cerca de trinta anos quando derivado a uma lesão que não havia maneira de ir embora me fez abandonar o futebol e toda a actividade desportiva, a única coisa que queria é que não me prejudica-se a minha vida profissional. Durante os seguintes 17 anos não mexi mais uma palha a nivél físico, sofá, televisão, computador, Internet, tudo isto alheado a um bom garfo á mesa, e o resultado quase 94 kg.
Quando pela primeira vez calço as sapatilhas para correr, pensava eu que ia correr uns bons kns... mas  faltava algo, não havia pulmão, na altura fumador, não havia pernas e a distancia corrida ficou-se pelos 300 metros foi o que consegui correr antes de parar para descansar.
E foi assim durante uns meses, com avanços e recuos  lá fui tentando correr uma distancia de 4km para cada lado com muitas paragens para caminhar até ao dia em que pela primeira vez o consegui fazer sem parar, foi uma vitória.
Em Janeiro de 2008 quando me senti em condições de correr cerca de 1 hora sem parar comecei aparecer no parque da cidade e aí começou o convívio com muitas das pessoas com quem hoje corro.
O treino diário passou a ser hábito o tabaco foi-se, os treinos longos aos domingos  começaram  a fazer parte do treino, até que chegou o dia da primeira prova.
Pela primeira vez estava eu no meio de um pelotão de atletas junto daqueles com quem costumava treinar para uma prova e a única coisa que eu tinha no pensamento era tentar durante a corrida não perder de vista aqueles com quem eu costumava treinar. O tiro da partida soa e no meio daquele imenso mar de gente tento não perder de vista os restantes colegas, o ritmo com que sigo atrás deles é louco, não era o meu ritmo, mas aquela sensação de ficar só durante a corrida leva-me a tentar segui-los, e o resultado estava à vista.
Que grande estoiro, ainda não tinha chegado a meio da prova e as pernas já não davam mais, a pulsação estava praticamente nos limites, terminei com cerca de 52 minutos completamente de rastos
Esta foi a minha primeira prova e será sempre um prazer poder corrê-la.
Domingo lá estarei em AVINTES.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Marisa Barros termina Maratona de Yokohama no 3º lugar

Marisa Barros foi hoje 3ª classificada na Maratona de Yokohama, no Japão, com um recorde pessoal de 2h25m04s, marca que a qualifica para o Mundial, a disputar em finais de agosto em Daegu, na Coreia do Sul.
A prova foi ganha pela japonesa Yoshimo Osaki, que se isolou aos 38 kms e terminou com o tempo de 2h23m56s, seguida pela sua compatriota Remi Nakazato, com 2h24m29s.
Depois de a etíope Derartu Tulu, uma das favoritas, se ter atrasado logo aos 10 kms de prova, Marisa Barros ficou com três japonesa na liderança da corrida quando as três "lebres" de serviço terminaram a sua função, aos 30km.
Mais uma excelente prova daquela que é neste momento a melhor maratonista  portuguesa e uma das melhores a nivél mundial.
Parabéns Marisa.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Exercicio anti-stress

Aí está um excelente exercicio para  os tempos livres.

DIVIRTAM-SE
Clicar com o rato sobre o.......... arraste-o, faça-o dar cambalhotas , sustenha a sua queda, ajude-o a cair... o que quiser...
O importante é conseguir aliviar o seu stress!!!!
seguir o link:

http://sorisomail.com/email/456/jose-socrates--um-primeiro-ministro-muito-flexivel.html

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Semana Pós Trail

Esta foi mais uma semana com algum cansaço à mistura.
Após a meia de Viana que venho sentido umas dores nas costas algo incómodas, a prova de trail efectuada na semana passada, e que eu não estava habituado a fazer deixou ainda mais algumas mazelas que me continuam a incomodar, contudo o prazer de correr continua a ser mais forte.
Esta semana foram três treinos durante a semana, dois deles ainda com os músculos todos doridos  das subidas e descidas do trail.
Hoje foi mais um  treino que se previa longo mas que acabou por se ficar pelos 17km, talvez pelo tempo que se fez sentir com chuva e vento algo desagradável para correr.
Ainda bem que ficou pelos 17 porque  as pernas hoje não queriam ir mais longe.
Esperemos melhores dias.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Itrail de Alvelos- Barcelos

Fiz hoje a primeira prova de trail em Barcelos, a ideia de participar na prova foi mais no sentido da descoberta do que é o trail. A prova foi muito dura, o percurso segundo alguns dos entendidos nestas andanças era complicado e com um certo grau de dificuldade.
A determinada altura pergunto-me : gostaste da prova?
E a resposta surge:  Não sei.
Não posso dizer que não gostei, talvez para iniciação, esta prova não fosse a melhor porque praticamente todo o percurso é no pinheiral, e não deu para poder desfrutar das paisagens que a natureza nos mostra neste tipo de provas. Mas que me senti bem neste terreno também foi verdade, conclui a prova em 1:39:15 com a distancia de 15km certos.


Esta prova com inscrições gratuitas, e  com algum espírito amador, face a outras provas do género esteve á altura das expectativas, um razoável numero de atletas, alguns vindos de Espanha, dois abastecimentos com água e um com isotónico, agua, coca-cola, percurso bem assinalado,  no final quem quis tomar banho, pôde fazê-lo, diria que para uma prova gratuita e sem grandes patrocinadores foi muita bem organizada.


Resumindo, foi uma experiência que talvez se torne a repetir, quase de certeza.
Ficam algumas fotos de colegas que me acompanharam nesta tarde dedicada ao TRAIL.

domingo, 30 de janeiro de 2011

VIANA FICARÁ NO CORAÇÃO

Decorreu hoje a XIII Meia Maratona Manuela Machado em Viana do Castelo, foram cerca de 1800 os concorrentes à partida e terminaram a prova cerca de 1400.
Aprova foi ganha  por Evans taieget do Kénia com 01:03:21 no sector masculino e por Marisa Barros  do S.L.Benfica com 01:10:30.

A caminho para levantar os dorsais

Como já estava decidido à imenso tempo, lá fui hoje  até Viana para fazer parte do lote de participantes na Meia da Manela, tinha como ideia levar a família, mas mais uma vez à última da hora desistiram. Acabei por fazer viagem na companhia do Lúis, companheiro de corrida mas que nesta altura não pôde dar o seu contributo por motivo de lesão. Saímos do Porto por volta das 8:20, já com a companhia do Manuel Monteiro e a sua família na viatura que seguia atrás de nós. A manhã estava fria, temperatura de 3º no Porto, o que nos levou a pensar como estaria em Viana. Chegamos cera das 9: 10 a temperatura no carro marcava 1º estacionamos junto à Av. Marginal  a cerca de 500 metros da partida, e tivemos que ir levantar os dorsais junto ao pórtico de chegada  na Av. dos Combatentes da Grande Guerra.

Já com os dorsais na companhia de colegas de treino


Houve necessidade de aguardar  por mais alguns colegas que entretanto iam chegando para a entrega dos dorsais, ainda deu para tomar um café quentinho que a Runporto proporcionou a todos como o fez na  Maratona do Porto, faltando apenas os finos ou imperial no fim da prova como na corrida das Festas da Cidade no Porto.
De volta ao ponto onde deixamos os carros estacionados, deu tempo só para equipar e encaminhar para o local da partida pois estava praticamente na hora da partida.
Já pronto e à espera do tiro de partida vejo o Mark, ainda nos cumprimentamos de longe, desejando uma boa prova.
Após o tiro de partida entrei no ritmo que me podia levar a pensar terminar com 1h30 mas eu sabia que não podia começar tão forte, tentei controlar o ritmo entre os 4.20\30 mas entre o km 5 e o 13, quanto a mim a parte mais difícil do percurso, não consegui manter o ritmo, as subidas eram constantes e as descidas praticamente não davam para descansar, ao km 10 já na viragem comecei a sentir uma dor nas costas que me incomodou toda a semana, paralelo a isso e talvez por ter apertado demasiado a sapatilha, comecei a sentir os dedos do pé esquerdo dormentes, situação que me causou algum desconforto. A partir do 14km as coisas voltaram ao normal, consegui voltar ao ritmo do inicio da prova para voltar a cair ao  km17 e 18, depois até ao fim mantive sempre o mesmo ritmo(4.20) acabando a prova com o tempo de 1:36:01 no meu Garmin e no registo oficial com 1:36:22.
Tinha como pensamento tentar baixar do minuto 36 para 35, não consegui, a prova não é fácil para se obter tempos mas mesmo assim acabei por fazer o meu melhor tempo à meia, aproveito para deixar um comprimento para o Carlos Castro, a quem cumprimentei já na parte final da prova antes de entrar na avenida.

Eu e a Grande Campeã


Após ter terminado a prova encontrei a Manuela Machado, pedi-lhe para tirar um foto, situação à qual ela nem exitou, o sorriso dela expresso nesta foto transmite a simplicidade desta campeã.


PARABÉNS MANUELA MACHADO POR ESTA PROVA TÃO BONITA .



                                                                                VIANA FICARÁ SEMPRE NO CORAÇÃO


Finda a prova houve necessidade de aguardar pelos restantes colegas,  mudar de roupa e terminar com um bom almoço " Rojões à moda do Minho"regado de um bom verde Alvarinho, foi o relato de um dia de domingo bem passado e que faço questão de voltar a repetir em 2012.


Á organização  (runporto) em especial ao Jorge Teixeira deixo os meus parabéns por mais uma prova bem organizada e com o respectivo saco de oferta no final bem recheado.
Só faltou a cervejinha no final.

CLASSIFICAÇÕES AQUI:  http://www.mmviana.com/



domingo, 16 de janeiro de 2011

FIM DE SEMANA SEM PROVAS

Após três semanas seguidas de provas e atendendo a que a próxima seja Viana aproveitei para nesta semana e talvez na próxima meter mais kms nas pernas.
Durante a semana deu para fazer 4 treinos  num total de 50km e hoje (domingo) terminou com um treino de 26 km num ritmo muito bom.

Não era minha ideia fazer um treino tão longo principalmente esta semana e muito menos com o andamento efectuado, no entanto acabei por gostar do treino efectuado, deixou boas perspectivas para um bom desempenho em Viana.

domingo, 9 de janeiro de 2011

Corrida Dos Reis 2011 - Vila Nova de Gaia

Mais uma prova concluída.
 São já três provas seguidas no espaço de três semanas, algo que alguns entendidos na matéria não aconselham muito.
Esta prova realizada hoje foi a primeira vez que se realizou, veio substituir a S. Silvestre de Gaia que normalmente acontecia na véspera da S. Silvestre do Porto, o que originava por parte dos atletas uma escolha em qual delas  participar. Notou-se neste caso  que ganharam com isso, bastou ver a moldura humana  ao longo da marginal.
O mau tempo que se fez sentir durante esta última semana e um problema gástrico juntamente com algum cançaso das provas anteriores, S.Silvestre do Porto e  Santo Tirso originou que só tivesse treinado uma única vez durante a semana, situação que  me beneficiou  hoje durante a prova, pois senti o corpo leve e solto, o que não aconteceu nas duas últimas.
Tudo fazia prever um dia de chuva idêntico ao do dia anterior, contudo o amanhecer acordou com um dia espetacular para correr junto ao rio numa paisagem soberba que não cansa de tantas vezes por ali passar.


A prova estava marcada para as 10h cheguei cerca das 9h, não tinha que me preocupar com o dorsal  porque já o tinham levantado, por isso aproveitei para dar uma volta e procurar alguns colegas de treino.
Comecei a prova com um bom andamento, desta vez não tive a companhia do meu amigo Correia e por isso como ia só deixei-me ir no andamento de partida que normalmente acaba por ser mais rápido desde que se tenha espaço para correr, acabei por passar no primeiro km com 4.12.
Cerca de uns metros mais á frente  avistei o Miguel Paiva e juntei-me a ele na tentativa de o poder acompanhar, pelo menos durante parte da corrida, contudo acabamos por concluir a prova praticamente juntos até ao fim, deu para perceber que a forma do Miguel ainda não é a melhor pois em condições normais eu não teria pernas para o acompanhar, para mim foi uma prova excelente quer pelo tempo conseguido, quer pela companhia do Miguel durante todo o percurso.
Terminei com 44.20  no meu Garmin, tempo já muito próximo do efectuado na Póvoa  (43.50) em 2009 
Continuo com Algum receio do esforço na perna que tive a rotura, ainda sinto qualquer coisa estranha naquela zona, mas com vontade de fazer na Meia de Viana um bom tempo na primeira meia após a lesão, nas vésperas da Maratona
Parabéns à organização , não só pela alteração da data da prova mas também pela alteração do percurso, ao terminar logo á passagem do pórtico da partida evitando a ida á ponte e voltar.
Pelo chã quente e pela fatia de bolo rei que cai que nem uma luva no final da corrida.
Esta é das que espero fazer  " Pelo menos enquanto poder"


 Resultados aqui:   http://www.desportave.pt/?cat=1


Descrição e percurso :



Continuação de bons treinos e em Viana lá estamos.